Conflitos de freqüência

Há três maneiras principais pelas quais outros sistemas sem fio e canais de TV causam interferência. A primeira é um conflito de freqüência direto. Se dois sistemas sem fio estiverem na mesma freqüência, geralmente nenhum dos dois poderá ser utilizado a menos que o outro esteja desligado. Esse problema é mais comum do que se espera, especialmente quando todos os equipamentos são do mesmo tipo. Isso porque a maioria dos sistemas tem somente uma quantidade limitada de freqüências padrão ou um conjunto de freqüências padrão, no caso de equipamentos multicanais. É necessário lembrar que os outros sistemas podem estar até a certa distância, em uma igreja no final da rua, em outro estúdio próximo ou em outro clube nas redondezas.

Os transmissores de TV também podem ser uma fonte poderosa de interferência direta se a freqüência do sistema sem fio estiver dentro do canal atribuído a uma estação local de TV. Às vezes, esse problema ocorre porque as freqüências sem fio estão relacionadas em MHz e nem sempre é óbvio saber dentro de qual canal de TV cai uma determinada freqüência.

Uma segunda maneira pela qual outros sistemas sem fio podem causar interferência é quando suas freqüências de operação estão muito perto da freqüência do sinal desejado. Nessa situação, o receptor sem fio pode não ser capaz de rejeitar o sinal do outro transmissor, o que pode resultar em interferência de leve a muito grave. Se a separação de freqüências for aumentada, a interferência acabará sumindo. Entretanto, a quantidade de separação necessária depende muito das características do receptor sem fio e de vários outros fatores.

A terceira maneira pela qual os sistemas sem fio e os transmissores de TV podem causar interferência é a intermodulação. Esse é um dos problemas mais comuns nos sistemas sem fio, embora não seja muito bem compreendido na maioria das vezes. A intermodulação ocorre quando sinais fortes presentes na entrada do receptor se misturam entre si em várias combinações, às vezes produzindo um sinal de saída indesejado que está na freqüência de operação do receptor ou perto dela. Quando isso acontece, o efeito sobre o sistema é semelhante aos resultados da interferência direta.

Uma dificuldade relacionada à intermodulação é que as combinações de freqüência que causam problemas não são imediatamente óbvias. Ou seja, uma análise cuidadosa da lista dos canais de TV ativos e dos sistemas envolvidos geralmente revela potenciais problemas de interferência direta e as freqüências que estão muito próximas entre si. Entretanto, as combinações de freqüência que criam problemas de intermodulação estão longe de ser óbvias ou intuitivas. Isso gera a tentação, até mesmo em usuários sem fio experientes, de ignorar o potencial problema, causando arrependimento futuro.

Embora não sejam tão predominantes como os tipos de interferência mencionados acima, algumas outras fontes de interferência devem ser consideradas. Uma delas é a interferência direta na freqüência de imagem de um receptor. Embora isso dependa muito da característica do receptor, todos os receptores sem fio apresentam pelo menos certo grau de resposta indesejada na freqüência de imagem. Por esse motivo, deve-se tomar cuidado para que não haja uma freqüência de outro sistema sem fio ou de algum canal de TV na freqüência de imagem de um receptor sem fio.

Há outras fontes secundárias de interferência que podem afetar a recepção sem fio sob certas circunstâncias relativamente incomuns. Como raramente causam problemas reais, não é necessário levá-las em consideração ao escolher as freqüências sem fio, a menos que haja motivo para suspeitar de um problema específico. Um exemplo seria o caso em que o equipamento sem fio precisasse ser usado a menos de 8 km de um transmissor potente de rádio FM ou de TV.

Retornar ao sumário