Alguns conceitos básicos

Figura 1: Exemplo de um sistema de som com vários microfones
Sistema de som básico | Por que microfones condensadores | Por que microfones unidirecionais

Sistema de som básico
O sistema de som começa nos microfones, onde o som acústico é convertido em sinal elétrico. Nosso exemplo abaixo tem quatro microfones – um para o pódio, um para o piano e dois para o coro (Fig. 1). Os microfones são conectados a um mixer de áudio, onde seus sinais de entrada são amplificados, ajustados e combinados para produzir um único sinal de saída. Observe que, se for necessária uma fonte de alimentação fantasma auxiliar para os microfones, ela deve ser posicionada entre os microfones e o mixer.

A partir do mixer, o sinal de saída é enviado para um amplificador de potência. O amplificador fortalece ainda mais o sinal, dando-lhe força suficiente para acionar os alto-falantes, que convertem os sinais dos microfones novamente em som acústico.

Por que microfones condensadores
Microfones de uma única direção são classificados segundo a maneira como eles convertem a energia do som em sinal elétrico. Os tipos mais comuns são “dinâmico” e “condensador”. Em uma igreja, os microfones condensadores oferecem várias vantagens em relação aos dinâmicos. Primeiramente, os microfones condensadores podem ser muito menores (e mais discretos) do que os dinâmicos, sem comprometer o desempenho. Além disso, têm maior sensibilidade para uma excelente captação, mesmo considerando as distâncias necessárias para os microfones suspensos do coro. Apresentam menor ruído de manuseio do que os dinâmicos e sua resposta estendida às freqüências oferece uma reprodução do som mais nítida e precisa. Por fim, os microfones condensadores têm ótima “resposta a transientes” para reproduzir com precisão impulsos de som tais como os produzidos por voz, piano e percussão.

Os microfones condensadores requerem uma fonte de alimentação para seus componentes eletrônicos internos. Alguns modelos podem receber energia de uma bateria interna. Outros podem ter alimentação “fantasma” ou “remota”. Fontes de alimentação fantasmas, integradas em alguns mixers e disponíveis também como acessórios da Audio-Technica, produzem baixa tensão DC para o microfone através do mesmo cabo blindado de 2 condutores usado para transportar o sinal de saída do microfone. A alimentação fantasma não influi no som do sistema.

Figura 2 & 3: [2] Microfone omnidirecional; [3] Microfone unidirecional (cardióide)
Por que microfones unidirecionais
Uma outra maneira de identificar os microfones é pelas suas propriedades direcionais, isto é, pela quantidade de som que eles captam de diversas direções.

Microfones “omnidirecionais” captam o som quase tão bem de todas as direções (Fig. 2). Ao mesmo tempo em que precisam ser usados perto da fonte de som sempre que houver possibilidade de realimentação, os omnidirecionais oferecem sensibilidade reduzida para ruído de manuseio e de respiração, o que os torna ideais para muitas aplicações de microfone de lapela.

Em uma igreja, porém, a maioria das aplicações são melhor atendidas por microfones de tipo unidirecional, conhecidos como “cardióides” (Fig. 3). Esses microfones captam melhor o som dentro de uma área cônica de 120° na frente deles, chamada de “ângulo de aceitação”. Fora do ângulo de aceitação, a sensibilidade do som é reduzida. Uma fonte de som localizada em um ângulo de 90° ao lado do microfone parecerá estar duas vezes mais longe do que uma fonte idêntica localizada exatamente na frente dele. Quando a mesma fonte estiver exatamente atrás do microfone (no ângulo de sensibilidade mínima ou “nula”), parecerá estar cerca de 10 vezes mais longe.

Apontando o microfone diretamente para a fonte de som desejada, com o nulo do microfone virado para os sons indesejados (como um alto-falante de reforço do som), os problemas com retorno e eco serão reduzidos. O resultado é uma melhor inteligibilidade da fala a uma maior “distância de trabalho”.

Figura 4: Padrões polares básicos
Modelos hipercardióides estendem a distância de trabalho a um grau de aceitação de 100°, oferecendo maior rejeição aos sons provenientes das laterais. É possível obter ainda mais cancelamento lateral com os modelos MicroLine® da Audio-Technica. O ângulo de aceitação estreito de 90° e a saída mais forte fazem desse modelo uma boa opção para captação mais distante do som. Eles também melhoram a clareza em ambientes com reverberação ou outros ruídos. A Figura 4 resume o desempenho dos diferentes padrões de captação.

Continuar na próxima seção (Aplicações específicas)
Voltar ao sumário