Técnicas de amortecimento

Os circuitos de detecção dos receptores de microfones sem fio geram alto nível de ruído de áudio quando não há presença de sinal de entrada de RF. Se esse ruído conseguisse entrar no sistema de áudio, ele seria intolerável para os ouvintes e poderia causar sério risco aos amplificadores e alto-falantes. Para que um sistema de microfone sem fio seja útil, o receptor deve incluir alguma forma de circuito de amortecimento para emudecer a saída de áudio quando nenhum sinal de RF estiver presente.

A forma mais simples de circuito de amortecimento monitora o sinal de entrada de RF no receptor e emudece a saída de áudio se o nível do sinal cair abaixo do necessário para obter um áudio satisfatório. Se o circuito de amortecimento for ajustado corretamente e se tudo funcionar como previsto, o receptor só emitirá áudio que tenha uma qualidade aceitável. Nos outros momentos, a saída do receptor ficará muda. Esse tipo de amortecimento funciona extremamente bem, a menos que exista interferência.

A interferência complica a situação consideravelmente. Os sinais de interferência podem enganar o receptor, cancelando o emudecimento da saída de áudio, principalmente quando o transmissor sem fio está desligado. Uma abordagem para esse problema é tornar o ponto de amortecimento ajustável. Geralmente, é possível encontrar um ajuste de amortecimento que cancela o emudecimento do receptor quando o sinal forte do transmissor é recebido, mas não quando somente o sinal fraco de interferência está presente. Infelizmente, um ajuste de amortecimento alto ou "apertado" geralmente também reduz o alcance máximo do sistema sem fio. Isso porque o transmissor deve estar relativamente perto para fornecer o sinal forte necessário ao receptor.

Para ajudar a superar esse problema, foram desenvolvidas outras técnicas de amortecimento mais complicadas. Uma delas é adicionar um tom piloto de alta freqüência ao sinal do transmissor. O receptor verifica os sinais de entrada para ver se o tom piloto está presente. Se não estiver, o receptor considera que o sinal não é do seu próprio transmissor e continua mudo mesmo que o sinal de interferência seja muito forte. Essa forma de amortecimento é geralmente chamada de amortecimento por "tom piloto" ou "codificado por tom".

Uma terceira abordagem é monitorar o nível do ruído de alta freqüência na saída do detector do receptor. Um nível alto de ruído indica que o sinal que está sendo recebido contém interferência, não está na freqüência correta e provavelmente não é o sinal correto ou tem outras características que indicam que não é o sinal desejado. Quando combinada com o tipo de amortecimento que monitora o nível do sinal, essa técnica às vezes é chamada de amortecimento em "modo duplo".

Outras combinações de circuitos de amortecimento têm sido usadas, assim como técnicas ainda mais complicadas. Infelizmente, nenhuma dessas abordagens é completamente infalível. Os sistemas de amortecimento por tom piloto podem ser enganados pela intermodulação. Um produto de intermodulação causado por um transmissor com um tom piloto e outro sinal conterá o tom piloto. Da mesma forma, um sinal interferente forte e limpo na freqüência correta enganará um receptor com amortecimento em modo duplo.

Existe também um problema fundamental com todas as técnicas de amortecimento. Embora os circuitos de amortecimento sofisticados possam geralmente manter o receptor mudo quando há interferência, eles não conseguem tornar o sistema sem fio utilizável. Ou seja, a escolha real é entre não ter áudio e ter áudio ruim. Obter áudio de boa qualidade exige a eliminação do problema de interferência subjacente. Na ausência de interferência, circuitos de amortecimento bem simples funcionam muito bem; porém, quando há interferência grave, nem a técnica de amortecimento mais sofisticada é capaz de bloquear o caminho do áudio e silenciar o sistema.

Retornar ao sumário